Briga no hospital e na Saúde

As pessoas se estressam no hospital, sejam elas os pacientes, acompanhantes, visitantes ou os profissionais da equipe multidisciplinar. Nervos de aço e nem sangue de barata não existem e quando as pessoas pensam que isso tudo está lá, não subestime o inconsciente, pois os afetos irão aparecer.

Basta olhar pra esse caso recente em que um profissional do Samu briga com um solicitante por telefone. Há uma situação de tensão que requer uma investigação, afinal, não é sábio deslocar uma equipe com todo um arsenal de equipamentos para uma ocorrência que requeira menos. O inverso também é verdade. Há pessoas e mais pessoas podendo requerer socorro, então é preciso mandar um grupo certo pro local certo.

Por outro lado, não cabe se não aos profissionais de saúde saberem disso. Rotina de socorro, assistência e cia. ficam a encargo da equipe multidisciplinar. E seria interessante se a leitura do que ocorre além da rotina, ocorrências e intercorrências, fosse melhorado.

Como assim? Na hora da emergência você quer que fique explicando pro paciente o que está acontecendo?

Às vezes, isso é necessário, especialmente quando o nível de consciência possibilita. O desespero pode estar nos olhos de quem não “é da área” e às vezes requer muita pouca coisa, como um aviso de que estão ali vendo o que está acontecendo e que vão tomar providências.

E mandar ficar calmo?!?

Até mesmo pedir calma pode ser útil e nem pelo pedido em si, afinal, ansiedade e tensão são estados e não escolhas pessoais. Nesse caso, o que funciona é acolher esse estado e às vezes uma palavra bem colocada basta.

E se a pessoa estiver atrapalhando?

Dependendo do caso, também cabe ser mais rígido e pedir pras pessoas se afastarem sim.

 

De forma geral, o importante muitas vezes é, de alguma forma reconhecer a existência da tensão do outro para que ele próprio lide com ela e não a transfira para a equipe, como por exemplo:

Olhe, sei que você está preocupado. Então é por isso que preciso que você me faça tal coisa.

Muita gente que nunca colocou uniforme pro trabalho em saúde acha que é preciso se descabelar, arrastar médicos, enfermeiros, muita gente e muito equipamento pra resolver as coisas, desconhecendo que levantar informações já é parte do trabalho deles e que esse passo é crucial pra fazer as coisas certas. E mais que isso, após estudar, treinar e praticar, já não é mais necessário ficar de cabelos em pé, bastando cumprir passos na forma e velocidade adequada, o que ainda garante segurança (não pense você que é fácil lidar com monitores, massagens, tempo entre remédios e mais e mais remédios, além de exames e mais exames, vai e vem de equipamentos, e outras coisas mais, tudo isso ao mesmo tempo).

Uma emergência implica em tensão para todos e a pior coisa que se pode fazer, é tentar depositar tensão sobre o outro. É como uma corda, uma hora ela poderá arrebentar e aí teremos um desastre com ela se arrebentando em várias partes, como o recém noticiado. E se as pessoas estiverem cara-a-cara, como é óbvio, um confronto físico é uma possibilidade real e concreta.

 

Não se trata aqui de defender  um lado ou outro e sim, pensar que há outras formas de lidar com as situações. Além disso, se olharmos mais à fundo, ainda há outros problemas embutidos, como por exemplo, número reduzido de profissionais e um espaço ridículo (que muitas vezes beira ou se confunde com a nulidade) para a elaboração de questões subjetivas, que incluem a tensão de não poder errar, a de ter que arcar com demanda afetiva alheia e até mesmo a de ter que dar conta de pedidos objetivos ou subjetivos que não são sequer, humanamente possíveis.



Sobre a notícia em questão, ela foi publicada pelo G1 em 03/10/2017 pode ser visualizada aqui:

Gravação registra palavrões e insultos de médico do Samu em ligação de pedido de socorro; ouça

 


Obrigado pela leitura e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s