“Não sei se me separo de meu namorado…”

Como parte do trabalho de transportar o conteúdo de lucianopsi.com para cá, nesse eu removi alguns links no texto que serviam para explicar do que se tratavam os “contos clínicos” (era uma categoria), e também explicar de onde saíam os nomes dos personagens, que eram todos vinculados ao conto “A pia da Rosa”.

Oficina de literatura & PSicanálise

Ângela era uma mulher independente, que já tinha filhos praticamente criados e namorava há mais ou menos um ano. Era profissional liberal, podia cuidar de suas contas, pagar seu apartamento independentemente da pensão do ex-marido. Seu problema era que há algum tempo seu relacionamento já não era mais o mesmo.

As brigas com seu namorado estavam ficando mais frequentes, mas de alguma forma, sempre faziam as pazes e ela deixava os mal entendidos por isso mesmo, ainda que tomasse alfinetadas vez ou outra… “Ele fica me falando, sabe aquele, dia? Eu lembro, viu? Não esqueci…”

Sua contabilidade e seus cuidados, noutrora brilhantes, já não eram mais os mesmos. “Eu acho que estou ficando velha… você pode ver, olhe como estou acabada hoje… Nem lembro quanto pintei os cabelos ou fiz as unhas da última vez… imagine como ficaria se tivesse mais filhos? Cuidar de adolescente é muito difícil, hein?”

Aprofundando-se…

Ver o post original 308 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s